Agora no Mundo

Brasil, Mundo, Eleições 2018, The Voice Brasil, BBB19 – Últimas Notícias

Batata de Marechal Hermes pode fechar por falta de batata

A crise pública gerada pela greve dos caminhoneiros está afetando grande parte da população. Sendo assim, até a famosa batata de Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, corre risco de não abrir nesse final de semana por falta de abastecimento.

“A gente costuma comprar a batata uma vez por semana, geralmente aos sábados. Mas logo assim que começou essa greve dos caminhoneiros, corremos no Ceasa para garantir um estoque maior. Só que já era tarde demais. A saca, que custava R$ 80, foi para R$400. Não deu para comprar muito e quando voltamos já não tinha mais. Se continuar assim, não vamos conseguir abrir nosso food truck no sábado e domingo”, lamentou Yasmin Albuquerque, dona do negócio.

De acordo com informações do Jornal Extra, o prejuízo de Yasmim pode chegar a quase R$10 mil apenas neste fim de semana:

“Todo mundo está perdendo. O consumidor, que não pode ter o produto, eu, por não conseguir manter o negócio aberto por falta de mercadoria, e os funcionários, que são diaristas. O outro problema é esse preço exorbitante da batata. Trabalhamos com uma tabela fixa e não alteramos o preço das porções para o consumidor final, nem mesmo com essa variação do preço da batata. O prejuízo fica no nosso colo mesmo”, concluiu.

Presidente decreta uso das Forças Armadas para controlar a situação

A grave dos caminhoneiros têm aumentado cada vez mais os transtornos no país e, com isso, Michel Temer decreta uso das Forças Armadas contra greve de caminhoneiros. Sendo assim, o presidente fez um comunicado afirmando que acionou as forças federais para desbloquear as estradas ocupadas. Em um pronunciamento feito nesta sexta-feira (25), Temer destacou a importância da finalização dessa grave.

“Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem gêneros de primeira necessidade. Não vamos permitir que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas. Não vamos permitir que crianças sejam prejudicadas pelo fechamento de escolas. Como não vamos permitir que produtores tenham seu trabalho mais afetado”, afirmou Temer.