Briga em grupo no WhatsApp pode ser razão para atirador ter ido atrás de pastor em Paracatu

Na última terça-feira (21), um crime cruel atingiu a cidade de Paracatu, Minas Gerais. Um homem identificado como Rudson Aragão Guimarães, de 39 anos, matou a ex-namorada Heloísa Vieira Andrade, de 59 anos, com um golpe de faca no pescoço e invadiu uma Igreja Batista, onde frequentava, atrás do pastor.

Testemunhas afirmam que ao chegar na Igreja Batista Shalom, o rapaz teria dito que voltou do inferno e teria uma missão a cumprir. Em seguida, invadiu a igreja e matou três pessoas. O pastor conseguiu fugir e quebrou o pé na fuga.

Uma das possíveis linhas de investigações apontam que a motivação para a ida de Rudson atrás do pastor teria sido uma briga que os dois haviam tido pelo WhatsApp.

O atirador frequentava a igreja e era bastante assíduo no grupo de WhatsApp da congregação. Lá, ele e o pastor teriam discutido. A polícia ainda não comentou sobre essa possível linha de investigação.