Cortes de Bolsonaro faz Globo tomar atitude histórica para equilibrar contas

A briga entre o presidente Bolsonaro e a Globo está longe de terminar e aparentemente a emissora já encontrou uma forma de sobreviver sem o dinheiro do Governo.

Desde que Bolsonaro se tornou presidente do país que a Globo passou a receber menos dinheiro de propaganda estatal.

Em contrapartida, a Record e o SBT foram os canais que mais se beneficiaram.

Dados da Secretaria Especial de Comunicação apontaram que até abriu de 2019 a Record havia recebido cerca de R$ 10,3 milhões em publicidade do Governo.

A emissora de Silvio Santos veio em segundo lugar com R% 7,3 milhões e a Globo em terceiro com R$ 7,07 milhões.

Em relação a 2018, a Record aumentou 659% com propagandas estatais no primeiro trimestre.

O SBT também cresceu bastante, cerca de 511%.

Já os veículos das Organizações Globo cresceram apenas 19% no mesmo período (de R$ 5,9 milhões para R$ 7,07 milhões).

Globo sofre cortes

A Globo precisou fazer vários cortes durante o ano e o principal setor atingido foi o de jornalismo.

Na teledramaturgia, a emissora começou a trabalhar com contratos por obra.

Ainda assim, nomes como Marco Pigossi, Leandro Hassum e Bruno Gagliasso deixaram o canal.

Pay-per-view do BBB 20 vai ajudar

Na tentativa de equilibrar suas contas, o canal vai apostar na democratização do acesso ao pay-per-view do BBB 20.

Antes o valor do produto custava R$ 288 e agora vai custar R$ 87, dando mais espaço para o serviço se popularizar.

A aposta pode ter resultados positivos pois o Big Brother Brasil continua rendendo bastante dinheiro para a Globo.

Com o novo valor o serviço ficará igualado ao que é cobrado no GloboPlay mensalmente, cerca de R$ 21,90 por mês.