Donald Trump e Kim Jong-un se encontram e assinam documento para fim das armas nucleares

Na última terça-feira (12) aconteceu um encontro histórico entre o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Os dois assinaram uma declaração que estabelece como objetivo a desnuclearização completa da península coreana. 

Jair Bolsonaro lidera pesquisa para Presidência da República

No entanto, o documento assinado pelos dois líderes não define detalhes de como o acordo firmado será colocado em prática. Quatro pontos merecem ser destacados no documento:

  • Os dois países se comprometeram a estabelecer relações de acordo com o desejo de seus povos pela paz e prosperidade;
  • EUA e Coreia do Norte se esforçarão para criar um regime pacífico, estável e duradouro na península coreana;
  • A Coreia do Norte, seguindo a Declaração de Panmunjon, de 27 de abril de 2018, se comprometeu a trabalhar na completa desnuclearização da península coreana;
  • Os dois países se comprometeram a recuperar os restos mortais de prisioneiros de guerra, incluindo a repatriação daqueles já identificados.

De acordo com o presidente americano, a negociação foi “franca, direta e produtiva” e que os dois países firmaram uma ligação especial após a assinatura do documento que, ainda segundo Trump, está “bastante completo”.

Trump convida Kim Jong-un para visitar a Casa Branca

O clima de paz entre as duas nações ainda fez com que Trump convidasse Kim Jong-un para visitar a Casa Branca. Ele ainda afirmou que pretende visitar Pyongyang em alguma oportunidade vindoura.

“Aprendi que ele é um homem muito talentoso que ama muito seu país. É um negociador de valor, que negocia em benefício de seu povo”, afirmou o presidente.

Deixe uma resposta