Flordelis é intimada a depor e polícia pede quebra dos sigilos telefônicos

Por DA REDAÇÃO

A deputada federal e cantora gospel Flordelis foi intimada a depor sobre a morte de seu marido, o pastor Anderson do Carmo, assassinado no último domingo na garagem de sua casa, em Niterói.

É esperado que ela conceda uma entrevista coletiva na próxima terça-feira. Em nota, a assessoria de Flordelis afirmou que “embora, como parlamentar, a deputada tenha a prerrogativa de escolher o dia e o local do depoimento, ela decidiu aceitar o convite nos termos formulados pela polícia, porque tem o interesse de colaborar com as investigações”.

Flordelis entrou na lista dos suspeitos principalmente após um dos filhos do casal afirmar que já viu ela colocando remédios na comida do marido e ameaça-lo ao fizer que “sua hora estava chegando”.

A quebra do sigilo telefônico de Anderson, Flordelis e Flávio dos Santos, filho do casal que assumiu ter feito os disparos, foram pedidos. No entanto, o da deputada federal foi negado pela Justiça.

Flordelis afirma que não está sendo investigada

Em nota, Flordelis afirmou que está sendo intimada a depor apenas como testemunha e que não está sendo investigada:

“A Deputada Federal Flordelis recebeu a intimação para depor como testemunha do caso e não como investigada, porque não está sendo investigada. Os fatos estão sendo apurados. Para que não reste dúvida, por favor, sejam específicos no questionar a polícia. A Delegada responsável pelo caso, nas entrevistas que concedeu, não especificou e, como se trata de uma parlamentar, com as implicações que se tem, há a necessidade da informação prestada pela polícia ser específica e direta. Por isso, a bem da verdade, reafirmamos com base em todos os fatos e informações específicas que dispomos, que a Deputada Federal Flordelis não está sendo investigada”.