Grupo terrorista ameaça matar Bolsonaro, primeira-dama e ministros Damares Alves e Ricardo Salles

A revista Veja desta semana trouxe uma reportagem com uma pessoa identificada como “Anhanga”.

Ela supostamente é membro de um grupo terrorista presente por toda a América Latina e Europa.

Países como o Brasil, México, Espanha e Grécia possuem raízes deste grupo.

A matéria da revista aponta que o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus ministros, como o do Meio Ambiente (Ricardo Salles) e da Mulher, Família e Direitos Humanos (Damares Alves), estariam sendo os próximos alvos dos terroristas.

Eles estariam esperando o momento adequado a fim de matá-los.

Terroristas já atacaram Brasília

Há pelo menos 6 meses a Polícia Federal estaria investigando os membros deste grupo.

Segundo a Veja, eles já cometeram – pelo menos – três atentados a bomba em Brasília.

O grupo seria a Sociedade Secreta Silvestre (SSS), um braço brasileiro da Individualistas que Tendem ao Selvagem (ITS).

Essa organização é bastante conhecida em todo o mundo por ataques a políticos e empresários. Eles se definem como ecoextremistas.

Por que matar Jair Bolsonaro?

O presidente do Brasil está em risco, e não apenas ele. De acordo com a matéria, tanto Bolsonaro e sua família quanto seus ministros estão correndo sérios riscos.

”A finalidade máxima seriam disparos contra Bolsonaro ou sua família, seus filhos, sua esposa”, afirmou o contato identificado como “Anhangá”, via deep web ao jornal.

“Como ele (Bolsonaro) é um estúpido populista às vezes falha com sua segurança e sai aqui em Brasília aleatoriamente sem uma proteção adequada. Ou em outros lugares como no Rio de Janeiro. As motivações (para matá-lo) carecem de justificativas porque são óbvias. Bolsonaro e sua administração tem declarado guerra ao meio ambiente, a Amazônia especialmente, tem feito de órgãos que teoricamente deveriam proteger a natureza catapultas para negócios danosos, facilitadores de exploração mineira, madeireira, caças, agropecuária, etc”, disse Anhangá.

Ministro Ricardo Salles é ameaçado

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não escapou das ameaças feitas pelo líder da Sociedade Secreta Silvestre (SSS).

Segundo ele, Ricardo Salles “é um cínico, e não descansará em paz, quando menos esperar, mesmo que saia do ministério que ocupa, a vez dele chegará. Aquele sujeito já chegou a adulterar documentos para beneficiar mineradoras. Tudo o que faz e declara é antagônico ao cargo que ocupa. É um lobo cuidando do galinheiro”, afirmou.

Ministra Damares Alves corre risco de vida

Em relação a ministra Damares Alves, que encabeça o ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Anhanga afirmou que ela é uma “cristã branca evangelizadora que prega o progresso e condena toda a ancestralidade. Outro motivo é que o eco-extremismo é extremamente incompatível com o que o seu ministério, é um choque filosófico”.