Pai e madrasta de Isabella Nardoni são inocentados do crime por perito

A morte de Isabella Nardoni é bastante conhecida pelos brasileiros. O caso aconteceu em março de 2008 e ganhou repercussão nacional. A menina foi jogada do sexto andar de um prédio da Zona Norte de São Paulo e a grande pergunta era: quem matou Isabella Nardoni?

O pai Alexandre e a madrasta Anna Jatobá foram culpados pela morte da menina e até hoje estão presos pelos crime apesar de nunca haverem assumido a autoria do assassinato.

Na ocasião, o perito George Sanguinetti havia sido contratado pelo casal Nardoni afim de investigar o caso. O perito chegou a lançar um livro contando a sua versão sobre o crime, onde inocenta o pai e a madrasta de Isabella Nardoni.

Em sua obra ”A condenação do casal Nardoni – erros e contradições periciais”, George afirma que uma terceira pessoa entrou no apartamento onde Isabella estava e teria abusado sexualmente dela, jogando seu corpo pela janela na sequência.

Diante de uma acusação tão grave, a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça proibiu que a obra fosse publicada. Segundo o STJ, as afirmações são feitas sem embasamento jurídico e pericia ultrapassando o direito de liberdade de expressão e partindo para o sensacionalismo.

Na época, a Justiça concluiu que as lesões encontradas no corpo de Isabella Nardoni não tinham relações com abusos sexuais, mas com violência.